quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2009

Bicicletas de Uso Partilhado Começam a Chegar



Vilamoura vai ter disponíveis 20 estações de onde se pode retirar uma bicicleta e seguir caminho. O sistema estará implementado em Julho próximo e promete revolucionar o trânsito de Verão. É que, por uma quantia paga anualmente (e que poderá oscilar entre os 25 e os 30 euros), basta ir a uma estação levantar a bicicleta e seguir viagem até à próxima, sendo os percursos máximos de 30 minutos.

Este é o sistema que a Inframoura, EM, está a implementar e que permitirá transportes disponíveis 24 horas por dia. A ligação a um sistema informático e um chip permitem saber onde estão as bicicletas, que possuem um sistema anti-vandalismo já que cada unidade tem várias peças únicas e uma manutenção permanente. Por isso, qualquer furo é reparado na hora, enquanto o utilizador segue viagem numa outra bicicleta. Esta é uma forma de Vilamoura, uma cidade plana, pôr as pessoas a pedalarem, beneficiando directamente dos 300 dias de sol por ano.

Sempre que uma estação tenha menos de cinco unidades disponíveis, uma carrinha de transportes encarrega-se de repor as bicicletas necessárias à circulação.

Naturalmente, uma iniciativa desta natureza tem custos e o facto de existir assistência permanente implica um dispêndio muito elevado. Daí que a Inframoura vá lançar um concurso público entre empresas de publicidade para que, à semelhança do que sucede com os outdoors, as coberturas de paragens de autocarro, ou os quiosques ou urinóis das grandes cidades, se efectue uma permuta que permita desenvolver este sistema.


Fonte

sábado, 10 de Janeiro de 2009

Eléctrica e dobrável





Um estudante vietnamita criou uma bicicleta eléctrica que pode ser dobrada e, segundo ele, carregada numa mochila. A Capella tem uma capacidade de locomoção a 30 quilómetros por hora, com uma bateria com capacidade total de duas horas.
Truong Minh Nhat, que estuda na Universidade de Arquitectura Ho Chi Minh City, afirmou que grande parte dos componentes da bicicleta está disponível no mercado. O objectivo é reduzir o fluxo de trânsito nas grandes cidades e cativar, sobretudo, os adolescentes.
«O design moderno e elegante foi projectado a pensar nos jovens», afirma o criador, que dedicou, durante a sua graduação, «bastante tempo e esforço» na invenção do protótipo. «A inspiração do desenho foi na estrela Capella, da mitologia grega», continuou, justificando a escolha do nome para o modelo.
A montagem da bicicleta foi feita dois dias antes da entrega do projecto à universidade e, agora, o objectivo de Nhat é a redução do peso da Capella para 10 quilos. «O meu registo de patente foi aceite e agora quero melhorar as funções do invento e, em seguida, procurar parceiros comerciais para lançar o produto no mercado», afirmou o estudante vietnamita.

Fonte: Diáriodigital.pt



sábado, 20 de Dezembro de 2008